Tudo junto e misturado

segunda-feira, 30 de março de 2009

Futebol e patriotismo

Patriotismo; Futebolisticamente falando, como é difícil ser patriota no Brasil. Temos um técnico na seleção brasileira que não acredita no futebol brasileiro, parece paradoxal mas não é, ele convoca jogadores que atuam no futebol brasileiro somente para amistosos ou se algum jogador que atua na Europa sofrer alguma contusão, assim mesmo somente para ser reserva. É como se não existisse vida inteligente fora da Europa.

Jogador do futebol Europeu com um jogo bom num amistoso já vira titular para as eliminatórias, ao passo que, jogador do futebol brasileiro pode fazer o que for que não será convocado para as eliminatórias da copa, para a copa então nem pensar.

Depois tenho que agüentar esses caras falando que não sou patriota porque não torço para a seleção,devolvam ao povo sua seleção, pois, a seleção é do povo e não de alguém que se eterniza no poder e escolhe o técnico como se o estivesse fazendo para seu time de society.

Torcer para o negócio desses caras eu não vou mesmo, ainda que isso me torne menos patriota.

escrito por Sandro Stahl

sexta-feira, 27 de março de 2009

Rosberg faz o melhor tempo; Rubinho fica em 2º




Depois de muito mistério e polêmica sobre a legalidade dos alguns dos carros da temporada 2009, as primeiras perguntas da temporada 2009 começaram a ser respondidas nesta terça-feira.

Durante a primeira sessão de treinos livres, o domínio foi da Williams, que marcou os dois melhores tempos, com Nico Rosberg e Kazuki Nakajima nas duas primeiras colocações.

Já no segundo treino, o que se viu foi um domínio de equipes antes secundárias na maior parte da sessão. As escuderias de ponta passaram quase todo o tempo entre as últimas colocadas. A exemplo do que aconteceu pela manhã, a melhor volta foi de Rosberg, com impressionantes 1:26.053.

O brasileiro Rubens Barrichello, da Brawn GP, ficou com o segundo tempo, seguido de Jarno Trulli, da Toyota, e Mark Webber, da Red Bull. A grade decepção ficou para as equipes de ponta. Felipe Massa foi o 10º, Raikkonen o 11º, Kovalainen o 17º e Hamilton o 18º.

Confira os tempos:

1º Nico Rosberg (Williams) 1:26.053
2º Rubens Barrichello (Brwan GP) 1:26.157
3º Jarno Trulli (Toyota) 1:26.350
4º Mark Webber (Red Bull) 1:26.370
5º Jenson Button (Brwan GP) 1:26.374
6º Timo Glock (Toyota) 1:26.443
7º Kazuki Nakajima (Williams) 1:26.560
8º Sebastian Vettel (Red Bull) 1:26.740
9º Adrian Sutil (Force India) 1:27.040
10º Felipe Massa (Ferrari) 1:27.064
11º Kimi Raikkonen (Ferrari) 1:27.204
12º Fernando Alonso (Renault) 1:27.232
13º Giancarlo Fisichella (Force India) 1:27.282
14º Nick Heidfled (BMW-Sauber) 1:27.317
15º Robert Kubica (BMW-Sauber) 1:27.398
16º Sebastien Bourdais (Toro Rosso) 1:27.479
17º Heikki Kovalainen (McLaren) 1:27.802
18º Lewis Hamilton (McLaren) 1:27.813
19º Nelsinho Piquet (Renault) 1:27.828
20º Sebastien Buemi (Toro Rosso) 1:28.076

Fonte: F-1 na Web - Gabriel Codas

quinta-feira, 26 de março de 2009

Vale tudo na cama?

Vale tudo na cama? Esta pergunta foi sugerida pelo conselho macho em uma conversa. Conclusão: vale quase tudo. Claro. Pra tudo há limites na vida. As questões foram sobre fantasias sexuais, brinquedos eróticos, práticas polêmicas e até ménage à trois para casados.

Em geral, os entrevistados afirmaram que o sexo necessita sempre de inovações e quebra de rotina. Tentar um lugar exótico, um objeto diferente ou até umas pancadinhas, se a mulher gostar, apimentam. Há dois pontos a destacar: todos os entrevistados são contra o chamado fio-terra (ainda bem, né?), mas a maioria se mostrou a favor de dividir o momento a dois com um “consolo”. Eu confesso que nunca usei isso e sempre quis dar um jeito de satisfazer a mulher sozinho, mas estou percebendo que nem todos pensam assim.

“Em relação a brinquedinhos, posso dizer de experiência própria que é algo bem positivo. Nunca usei um que fosse específico para o prazer masculino, mas mesmo usando um que favorece a mulher você acaba sendo recompensado por tabela. Posso te dizer que todas as vezes que usei a cara de satisfação da parceira era grande”, contou um dos entrevistados. “Brinquedinhos eróticos eu até já dei de presente e posso dizer que foi muito bem recebido!”, confirmou outro.

Pois é. Mais um caso clássico de homens perdendo espaço para máquinas. Fazer o quê? A revolução industrial ocorreu há dois séculos e se mostra presente em realmente TODOS os segmentos da sociedade. Onde o mundo vai parar? Já pensou entrar no sex shop e pedir: “Dá um Bráulio aí, mas não é pra mim, é pra apimentar a relação com a minha mulher”. Pô, os caras são desprendidos mesmo, seres evoluídos, talvez.

Getty Images / Três de uma vez só é uma beleza, mas é melhor que sua mulher não esteja láOutro integrante do Conselho Macho disse que abrir a mente na hora do sexo é uma das formas mais eficazes de conseguir ter um relacionamento duradouro. “Acho que quanto mais você inventar e experimentar no sexo melhor, principalmente em relacionamentos mais longos – quanto mais tempo de namoro você tem mais fácil de o sexo cair na rotina e isso se tornar um problema para o relacionamento. E isso inclui diversas coisas, desde planejar noites especiais com jantares e declarações, lugares exóticos, locais da casa pouco explorados, até diversos brinquedinhos, amarrar na cama, vendar os olhos.”

Já outro, casado, que também se disse a favor de dividir espaço com um dildo, acredita que uns tapas e uns xingamentos ajudam bastante a esquentar o sexo. “Chamar disso ou daquilo, puxar o cabelo, arranhar, isso vale. Entre quatro paredes, vendo por esse lado, vale tudo.” Concorda com ele outro dos pesquisados, que nos forneceu uma pérola do pensamento macho moderno. “As que curtem esses detalhes (tapas e xingamentos) são bem mais gostosas. Não há dúvida.”

Mas há limites. E para isso não basta dizer “onde mamãe passou talquinho, ninguém mete a mão”. “É preciso muito desprendimento para surubas e ménages, e eu não sei se sou tão desprendido assim, mas coisas mais leves como vendas, amarrar o par na cama e ‘quetais’ são bem interessantes”, ponderou um dos contribuintes do blog. Aliás, concordo. Esta de terceiro elemento na cama não rola, nem que seja uma mulher a mais. A não ser que a sua mulher não esteja no meio da brincadeira. Aí a coisa muda completamente, fica sensacional. “Com uma amiga que você pega de vez em quando, vale todo tipo de suruba”, lembrou, muito bem, um dos integrantes do Conselho Macho.

Eu tenho um amigo que recentemente me procurou, preocupado. Disse que a mulher sugeriu sexo a três, e a intrusa seria uma amiga dela. Ele admitiu que pensou seriamente, já que a amiga da mulher é, digamos, bem apetitosa, mas resolveu pular fora. “Cara, já pensou se eu me empolgo com a outra, que é a novidade na história? Meu casamento ia acabar.” Sábio. Ia mesmo. Se bem que, pelo jeito que a coisa estava se desenhando, quem ia ficar chupando o dedo era ele.

Abs,

J.J.

fonte: macho_alfa@ig.com.br

terça-feira, 24 de março de 2009

Orkut nega ter agido para fim de comunidade 'Dicografias'

Reprodução

SÃO PAULO - O Google, proprietário do site de relacionamentos Orkut, negou ter agido para o fim da comunidade "Discografias", que deixou quase um milhão de membros órfãos. "A decisão de eliminar a comunidade não foi nossa, nem da APCM (Associação Antipirataria de Cinema e Música). Foi de seus usuários", afirmou ao estadao.com.br Ricardo Félix Ximenes, diretor de Comunicação para Assuntos Públicos do Google. Ele questionou ainda as alegações da APCM de que a comunidade se dedicava a "disponibilizar música de forma ilegal", dizendo que houve "exagero."


"Não há pirataria ou troca de arquivos no Orkut. O que alguns usuários fazem é colocar links para outros sites que, estes sim, hospedam conteúdo protegido por direitos autorais", acrescentou Félix. "Nós tiramos esses links sempre que solicitado, mas nossa política não faz censura."

Em um manifesto criado no Orkut, os moderadores de "Discografias" disseram que estavam sendo "ameaçados" pela APCM, sem revelar outros detalhes. O diretor do Google destacou a importância do grupo para a discussão de música. "Fomos solicitados algumas vezes a remover a comunidade como um todo, mas nos negamos", continuou. "Vamos continuar colaborando com a APCM, mas não vamos impedir que as pessoas discutam música no Orkut."

Procurada pela reportagem na segunda-feira, a APCM se negou a fazer comentários além da nota oficial sobre o tema, na qual considerou a exclusão do conteúdo da comunidade "um avanço positivo". Durante a semana, outros contatos foram tentados, mas a assessoria de imprensa informou que o porta-voz da empresa não estava disponível.

O fim da comunidade gerou polêmica entre usuários e especialistas. Em entrevista ao estadao.com.br Ronaldo Lemos, diretor do Centro de Tecnologia e Sociedade da Escola de Direito da Fundação Getúlio Vargas do Rio e fundador da Creative Commons Brasil, também defendeu que o grupo não era dedicado à pirataria. "A comunidade em si não hospedava o conteúdo. Não existia discos armazenados ali, não tinha nada que violasse os direitos autorais", explicou o analista, autor do livro Direito, Tecnologia e Cultura (Editora FGV).

Félix também alertou que a indústria fonográfica deve evitar generalizações quando o assunto é infração de direitos autorais na rede, destacando que não se deve dizer que "a comunidade era lugar de pirataria, assim como o Orkut e toda a internet". "Sempre que você generaliza, corre risco de cometer uma injustiça", concluiu.

NYT: Cientistas tentam decifrar o fenômeno do "estava na ponta da língua"

Por Natalie Angier
The New York Times

Segundo a opinião de todos, meu avô, Nathan, tinha as ambições cômicas de um Jack Benny, mas o talento cômico de um John Kerry. Sem desanimar, ele sempre guardava um bloquinho de papéis no bolso. Caso ele ouvisse uma boa piada, sempre haveria um lugar para anotá-la.

Como eu gostaria de saber onde Nathan guardava os papeizinhos.

Assim como muita gente, eu nunca consigo lembrar de uma piada. Eu ouço, ou leio, algo hilário, rio alto o suficiente para constranger todo mundo na biblioteca, mas instantaneamente esqueço tudo - menos o fato, sempre popular numa mesa de jantar, de que eu "ouvi uma piada ótima hoje, mas agora não me lembro como era".

Para pesquisadores que estudam a memória, a facilidade com a qual as pessoas esquecem as piadas é uma daquelas esquisitices, aqueles pequenos deslizes na casca de banana neuronal, que acabam revelando uma quantidade surpreendente de coisas sobre a arquitetura por trás da memória.

Existem exemplos similares para ilustrar os caprichos e o mau gosto da memória - como por que você pode esquecer o aniversário de seu cônjuge, mas vai lembrar, até o leito de morte, de todas as palavras da música de abertura do programa "A Ilha de Gilligan". E por que você corta uma linha de dados, como um número telefônico é divido em blocos previsíveis e gerenciáveis, com o objetivo de memorizá-lo, e depois se desespera quando vai para o Reino Unido e ouve alguém dizendo um número "duplo quatro, duplo três?" E por que seus esforços para preencher um lapso de memória repentino ao perguntar a seus amigos "Ei, como era o nome do ator principal daquele filme que vimos na sexta-feira?" pode falhar, pois agora todos também esqueceram (amigos inúteis!).

Bem-vindo ao cérebro humano, seu trono de 1,3 kg de conhecimento com a almofada de alegria no assento.

Para entender a memória humana e seus tiques, Scott A. Small, neurologista e pesquisador da memória na Columbia, sugere uma analogia familiar à da memória do computador.

Temos nossa própria versão de um "buffer", ele disse, uma memória de curto prazo e escopo limitado com taxa de rotatividade mais alta. Temos o nosso equivalente ao botão "salvar": o hipocampo, localizado no fundo da parte anterior do cérebro, essencial para traduzir memórias de curto prazo em formas mais permanentes.

Nossos lóbulos frontais desempenham a função de busca, resgatando arquivos salvos para enfeitar a memória, conforme a necessidade. Apesar dos cientistas antes acreditarem que as memórias de curto e longo prazo eram armazenadas em diferentes partes do cérebro, eles descobriram que o que realmente distingue o duradouro do temporário é o quão forte a memória está encravada no cérebro, além da grossura e da complexidade das conexões capazes de unir grandes populações de células cerebrais. Quanto mais profunda a memória, mais prontamente e robustamente um conjunto de neurônios similares irão disparar.

Esse processo ajuda a explicar por que algumas coisas da vida nos fogem rapidamente e depois se recusam a serem capturadas. Música, por exemplo.

"O cérebro tem uma forte propensão a organizar informação e percepção em padrões, e a música funciona nesse sentido", afirmou Michael Thaut, professor de música e neurociência da Universidade Estadual do Colorado. "De uma perspectiva acústica, a música é uma linguagem superestruturada que o cérebro inventou e adora ouvir".

Uma simples melodia, com um ritmo e uma repetição simples, pode ser um dispositivo tremendamente mnemônico. "Seria praticamente impossível para uma criança memorizar uma sequência de 26 letras separadas se você as apresentasse apenas como uma linha de informação", disse Thaut. Porém, quando o alfabeto é transformado em música com suas frases melódicas, as crianças do pré-escolar conseguem aprendê-lo com facilidade.

O que são os jingles e canções temáticas de programas de TV mais capciosos? Apenas variações da canção alegre do ABC.

Piadas realmente boas, por outro lado, fogem da abordagem "do-ré-mi". Elas funcionam justamente por não estarem em conformidade com rotinas de padrão reconhecias, por subvertê-las.

Serge Bloch/The New York Times
Às vezes você sabe algo, mas não consegue colocar para fora, e quanto mais você tenta, mais você erra; os cientistas estudam o fenômeno para entender melhor a memória
"As piadas funcionam porque lidam com o inesperado, começam numa direção e depois desviam para outra", disse Robert Provine, professor de psicologia da Universidade de Maryland, em Baltimore County, e autor de "Laughter: A Scientific Investigation" ("Riso: Uma Investigação Científica", em tradução livre). "Aquilo que faz o sucesso de uma piada são as mesmas propriedades capazes de torná-la difícil de ser lembrada".

Isso também pode explicar por que as piadas mais lembradas são extremamente clichês. Piada de sogra? Sim, tenho várias na ponta da língua.

Pesquisadores da memória sugerem motivos adicionais de que ótimas piadas podem desconcertar o conhecimento comum. Daniel L. Schacter, professor de psicologia de Harvard e autor de "The Seven Sins of Memory" ("Os Sete Pecados da Memória", em tradução livre), afirma que existe uma grande diferença entre a lembrança literal de todos os detalhes de um evento e a lembrança genérica de seu significado geral.

"Nós, humanos, somos muito bons em lembranças genéricas, mas temos dificuldade em precisão", ele disse. Apesar de anedotas serem, contadas num plano mais amplo, as piadas são um sucesso ou um fracasso devido à nuance, à precisão e ao momento. Apesar da agitação emocional normalmente ampliar a memória, ela acaba erodindo sua atenção para aquele detalhe crucial. "Aquilo que estimula emocionalmente chama sua atenção para um objeto central", disse Schacter, "mas pode fazer com que seja difícil lembrar de detalhes periféricos".

Mesmo sendo bastante frustrante esquecer algo novo, é ainda pior esquecer o que você já sabe. Cientistas se referem a isso como o fenômeno "da ponta da língua", quando você sabe algo, mas não consegue colocá-lo para fora, e quanto mais você tenta, mais você erra.

É um distúrbio tão virulento que, quando você pede ajuda aos amigos, pode acabar deflagrando a chamada amnésia contagiosa. Por trás do travamento da língua estão os nervos delicadíssimos dos lóbulos frontais do cérebro e sua sensibilidade à ansiedade aos hormônios de resposta ao estresse. Os lóbulos frontais, procuradores frenéticos das memórias armazenadas, e desempenhadores de outras tarefas cognitivas importantes, tendem a travar quando a parte inferior do cérebro sente o perigo e exige o envio de energia em sua direção.

Por esta razão, a ansiedade pode ser o pior inimigo de alguém que realiza uma prova. A ansiedade de um quiz feito por um amigo pode fazer seus lóbulos frontais congelarem e sua mente virar um papel em branco. Também é por isso que você se lembra do fato frustradamente esquecido depois, tarde da noite, na tranquilidade da sua cama.

As memórias podem ser fortalecidas com tempo, prática, prática e prática. Porém, se existe uma parte do sistema que resiste à melhoria, esses são nossos "buffers", o tamanho da nossa memória funcional no qual alguns poucos itens podem ser temporariamente armazenados. Muitas pesquisas sugerem que podemos guardar na memória de curto prazo somente de cinco a nove blocos de informação a cada vez.

Os limites da memória funcional encorajam nossos cérebros loucos por padrões. Logo tentamos agrupar números telefônicos em porções menores e podemos lidar com números de até dez dígitos quando eles possuem código de área com frases previsíveis, como um zero ou um número 1 no meio. No entanto, com o surgimento de números telefônicos pouco ritmados de dez dígitos aleatórios, os pesquisadores da memória dizem que os limites da memória funcional foram ultrapassados. Você tem algum bloquinho de papel aí?
Fonte: UOL Ciência e Saúde

segunda-feira, 23 de março de 2009

Rogério Ceni lança livro para comemorar 18 anos de carreira



O livro, chamado “Maioridade Penal: 18 anos de histórias inéditas da marca da cal”, conta histórias da vida profissional de Rogério Ceni.
Rogério revela em entrevista as dificuldades de sua fase de jogador principiante, conquistas nacionais e mundiais, a passagem para seleção brasileira, a influência dos técnicos e colegas em sua formação, detalhes de sua personalidade e fatos engraçados que vivenciou em 18 anos de futebol.
O livro, de 204 páginas, contém 57 histórias, um caderno com fotos coloridas e um encarte com a coleção de camisas usadas por Ceni.
A obra será lançada no dia 06 de abril, mas já está sendo vendida pelo site da editora Panda Books e custa R$36.90.

Fonte: http://uolesporte.blog.uol.com.br/arch2009-03-22_2009-03-28.html

Carregadores serão os mesmos para todos o celulares em 2012



Durante o Mobile World Congress, em Barcelona, os principais fabricantes de celulares e grandes operadoras de te lefonia móvel do mundo firmaram um acordo para a implementação de um carregador universal de bateria para todos os novos aparelhos fabricados a partir de 2012.
O objetivo da iniciativa é reduzir gastos para a indústria, facilitar a vida dos usuários e reduzir a quantidade de material desperdiçado, pois poucos carregadores terão de ser jogados no lixo. "Em 2012, a maior parte dos celulares serão mais eficientes em relação à energia, e usarão apenas um carregador", disse Rob Conway, conselheiro da GSM, principal associação da indústria de aparelhos móveis do mundo.
De acordo com o conselheiro, participam da iniciativa os fabricantes Nokia, Motorola, LG, Sony Ericsson, Samsung e a empresa de chips Qualcomm. Fazem parte do acordo também as operadoras Orange, 3 Group, AT&T, KTF, Mobilkom Autrice, Telecom Italia, Telefónica, Telenor, Telstra, T-Mobile e Vodafone.

domingo, 22 de março de 2009

Internet explorer 8

IE8 é o browser mais veloz, diz teste da MS
Microsoft é a melhor, diz Microsoft
SÃO PAULO - A Microsoft publicou o resultado de testes feitos por ela mesma que colocam o Internet Explorer 8 como o navegador mais veloz da internet.
Nos testes de benchmark da Microsoft, seu produto aparece como o mais rápido ao acessar endereços populares como google.com, yahoo.com, msn.com, YouTube ou Wikipedia.
Nos testes, o IE8 tem desempenho melhor que seus rivais Chrome, do Google, e Firefox, da Fundação Mozilla. A empresa explica o bom desempenho do novo IE como resultado de melhorias no motor que processa dados baixados e linguagens como Java, Flash e Ajax.
O IE 8, diz o teste, carrega o google.com em 0,2 segundo, frente 0,22 do Firefox e 0,28 do Chrome. Curiosamente, o IE8 é bem mais lento ao acessar a URL mais popular da Microsoft, o msn.com. Em seu próprio portal, a Microsoft é superada pelo Chrome, que leva 0,55 segundo para carregá-la, frente 0,83 segundo do Internet Explorer.
A Microsoft afirma que usou parâmetros de mercado para efetuar os testes e que foi absolutamente imparcial ao comparar seu produto aos rivais do Google e Mozilla.Os fabricantes dos browsers competidores não comentaram os testes.
Apesar dos esforços da Microsoft, o Internet Explorer perde mercado há mais de dois anos de forma consecutiva. O navegador que mais cresce é o Firefox, que já detém mais de 20% da preferência dos internautas no mundo. O índice varia a cada mês e dependendo do mercado analisado.
O Chrome, apesar do ter um início fabuloso após sua estreia, não decolou e segue empacado ao lado do Opera em termos de market share, bem atrás de IE e Firefox.

sexta-feira, 20 de março de 2009

Fórmula 1

Se fosse no Brasil nossa imprensa teria muito do que se "envergonhar" mas como são ingleses tudo bem.
Imagine o campeonato de fórmula 1 de 2009 com as novas regras, não é necessário ser o melhor para ser campeão. Um absurdo, basta vencer mais corrida.
Vamos supor que um piloto vença cinco corridas e não pontue nas outras, estoure o motor ou sei lá, aí um outro piloto vence quatro corridas, faz uns três segundos lugares e alguns terceiros lugares, quem será o campeão? Não meu amigo não é o mais regular não, eficiência não vale nada. O campeão será quem tiver mais vitórias mesmo que no resto do campeonato não tenha feito nada. Que vergonha, cartola é tudo igual só muda o endereço e o esporte.
E o técnico do Figueirense heim, vestidinho cor de rosa pra punir jogador em pleno século XXI, isso é expor o jogador ao ridículo, os imbecis podem até diminuir mais não vai acabar nunca.

Fim de semana chegando

Cerveja, mulher, futebol e rock'n roll (não necessáriamente nessa ordem)meu Deus como isso é bom, e está chegando o fim de semana que é quando isso tudo fica melhor ainda.

A dividida é fraquinha, a voadora uma vergonha,o som é ótimo,a cerveja uma delícia e a gata é demais.





video

Funcionalismo Público

O que dizer da lei que protege o funcionário público de ser destratado pela população?
Sou partidário de que o funcionário público não deve ser maltratado pela população, mas a recíproca deve ser verdadeira.
Muitos funcionários públicos escondem-se atrás dessa portaria para destratar as pessoas, principalmente as mais humildes. Ofendem com palavras e com atos de desprezo, como se não fossem as pessoas merecedoras de um atendimento digno e respeitoso.
Vejam este caso: Uma pessoa fica por mais 2 horas na fila, para marcar consulta para duas filhas com o mesmo médico e ao chegar sua vez é informada pela funcionária arrogante, que só marcaria para uma das filhas e para marcar para a outra filha teria que voltar ao fim da fila e ao questionar o porquê não obteve resposta alguma.
Enquanto na iniciativa privada os funcionários são instruídos a tratar bem os clientes, nos órgãos públicos os usuários continuam sendo vilipendiados. E cada vez mais pessoas querem ingressar no serviço público, única e exclusivamente pela estabilidade e não para servir o público com o respeito que ele merece.
Até quando será que essa situação vai continuar?

quinta-feira, 19 de março de 2009

No futebol é assim mesmo

Existe algo mais incoerente do que dirigente esportivo? Vejam o presidente do Corinthians.
Quando da partida contra o São Paulo fez um escarcéu desgraçado pelo fato de ter o São Paulo destinado 10% da capacidade do estádio, culminando suas declarações na confusão que se desencadeou no final da partida entre a polícia e os "mártires".
Agora ele repassa para o Santos apenas 6% dos ingressos, não respeitando a lei que manda que sejam fornecidos ao adversário o mínimo de 10% dos ingressos.
E para se defender disse que recebeu uma carta da polícia militar e do ministério público determinando que repassassem apenas 5% para o clube visitante, mas na carta a polícia e o ministério público sugeria e não determinava, como disse o senhor Andrés Sanchez que deixou de cumprir a lei que determina 10%dos ingressos ao time visitante.
Mais o que esperar de alguém que andava com o Kia pra cima e pra baixo e se elegeu prometendo limpar o clube, como se não tivesse nunca participado daquela diretoria?

José Serra, os porquinhos e a matemática.

Esses videos mostram como se faz necessário a saída do sapo barbudo analfabeto e ignorante, para a entrada de alguém culto e versado em todos os assuntos.

Arquivo do blog

Contador de visita

Não é novela mas se quiser seguir fique a vontade